Ipanema - (21) 2287-8006 / 99471-2590 | Lins de Vasconcelos - (21) 2269-5815 / 99169-6525

SBD emite nota de esclarecimento à população sobre a banalização de atos médicos e suas consequências

NOTA DE ESCLARECIMENTO À POPULAÇÃO

SER MÉDICO E SER ESPECIALISTA

A BANALIZAÇÃO DE ATOS MÉDICOS E SUAS CONSEQUÊNCIAS!

A Sociedade Brasileira de Dermatologia (“SBD”) vem a público se solidarizar com a paciente (e seus familiares) que sofreu queimaduras químicas graves, de 3o grau, com peeling de fenol aplicado nos braços, que teria sido realizado por um profissional não médico! As fotografias divulgadas nas redes sociais mostram a gravidade das complicações e consequências de um procedimento médico, realizado de forma irresponsável e não autorizada, por um profissional não médico.

Infelizmente, o fato acima narrado não é uma exceção em nosso país e isso está gerando diversos problemas não só para a classe médica, mas principalmente para a população brasileira.

Diversos profissionais não médicos estão, ao arrepio da Lei, realizando técnicas de natureza estética (como o peeling de fenol), que são sabidamente inerentes ao exercício da medicina, mais especificamente aqueles médicos devidamente habilitados e especializados para realizar procedimentos na área dermatológica: o dermatologista e o cirurgião plástico.

Ser médico é estudar MEDICINA durante 6 anos!

Se especializar em dermatologia é fazer residência em serviço credenciado pela Sociedade Brasileira de Dermatologia por mais 3 anos!

Ser médico especialista é se dedicar no mínimo 9 anos de estudo em uma determinada área da medicina!

Ser médico é ser dedicado à medicina, é ter responsabilidade, conhecer seus limites, respeitar sua área de atuação e não se atrever a realizar procedimentos que fogem à sua especialidade. Ser médico é respeitar o paciente, preservar sua integridade, cuidar do seu corpo, zelar pela sua saúde, sua mente, sua alma.

Para que um médico possa se intitular dermatologista é necessário que ele seja aprovado numa prova denominada de “Título de Especialista” que é anualmente elaborada pela SBD por força do que dispõe um Convênio assinado entre o Conselho Federal de Medicina (“CFM”), a Associação Médica Brasileira (“AMB”) e a Comissão Nacional de Residência Médica (“CNRM”) (Resolução CFM 1.634/02). Importante esclarecer que não basta que o médico obtenha aprovação no referido exame para que possa se intitular dermatologista, pois, para tanto, deverá obter, também, o Registro de Qualificação de Especialidade (“RQE”) junto ao Conselho Regional de Medicina competente para, então, ser reconhecido como tal pelo CFM.

Pois bem. É dever da SBD alertar as pessoas sobre o que vem acontecendo no país, onde profissionais não médicos se atrevem a realizar procedimentos médicos, de forma irresponsável, inconsequente, sem a devida competência, formação e especialização, causando seríssimos riscos e sequelas irreversíveis à saúde de nossa população.

É mais prudente, sensato, razoável realizar uma cirurgia na pele, um transplante de cabelos, tratamento para rugas, preenchimento, peeling, laser, com um dermatologista ou cirurgião plástico ou com um profissional não médico?

Da mesma forma, é mais prudente, sensato, razoável realizar um clareamento dental, fazer um tratamento ortodôntico, tratar de uma cárie no seu dente, com um dentista ou com um dermatologista?

É mais prudente, sensato, razoável, fazer exercícios de Pilates ou uma reabilitação funcional muscular com um fisioterapeuta ou com um dermatologista?

Finalmente, é mais prudente, razoável, sensato, seguro, entregar seu corpo para ser realizado um procedimento invasivo com um médico ou com um não médico?

Cursos de “fim de semana”, cursos de “pós-graduação latu sensu” e eventos isolados proliferam pelo país e estão sendo oferecidos a profissionais não médicos de diversas profissões/categorias, numa clara e aviltante banalização da medicina, ferindo seus ditames éticos e ignorando a necessária sensatez aos cuidados da nossa saúde da população.

A SBD demonstra seu total e mais veemente repúdio a tais atitudes e ressalta a importância de a população certificar-se de que o médico escolhido para cuidar de sua pele e realizar procedimentos estéticos invasivos, seja portador do Título de Especialista, através da consulta no site www.sbd.org.br

Com objetivo único de defesa da saúde da população, conclamamos você e todos os seus familiares e amigos a votarem A FAVOR, na Consulta Pública do Senado Federal sobre a Lei do Ato Médico, clicando agora no link

https://www12.senado.leg.br/ecidadania/visualizacaomateria?id=119167

Comprometa-se com a saúde da população! É muito rápido! Confirme seu e-mail, sua senha e vote A FAVOR! Compartilhe esta nota!

Atenciosamente,

Sociedade Brasileira de Dermatologia
Diretoria 2015/2016